Blog

Saiba o que rola no mundo Eduvem.

As Sete Camadas do Metaverso – Mergulhando no Futuro

O metaverso pode ser pensado como tendo níveis que envolvem seus usuários. É importante que as pessoas lembrem que essas camadas não estão em nenhuma ordem específica. No entanto, à medida que os indivíduos exploram ou melhoram esses níveis, eles se tornam mais interconectados com o metaverso. À medida que se tornam mais poderosos ou presentes em cada camada, tornam-se mais plenamente residentes do metaverso.

As Sete Camadas do Metaverso - Mergulhando no Futuro

1. Um encontro com uma realidade não materializada

O metaverso é frequentemente percebido como um ambiente 3D. E é verdade que é assim que a maioria dos usuários se envolve com o metaverso. Os fones de ouvido VR, por exemplo, imitam o ambiente 3D. Os usuários podem segurar ou mover objetos nesses ambientes 3D graças aos dispositivos de interface. O metaverso, no entanto, não é um ambiente 3D. Também não é um espaço 2D.

Em contraste, o metaverso é uma realidade desmaterializada em que as dimensões espaciais não têm sentido. Por exemplo, o Alexa pode ser encontrado dentro de pequenos itens conectados a enormes volumes de dados. Além disso, os indivíduos dentro do metaverso têm acesso a enormes territórios virtuais que, em última análise, existem como algo tão pequeno quanto um disco rígido.

As percepções das pessoas sobre as dimensões espaciais são essencialmente destruídas pelo metaverso. E não é só o metaverso em si que é assim. Assim como os humanos podem encontrar componentes do mundo real dentro do metaverso, a internet das coisas (IoT) pode trazer o metaverso para o mundo físico.

2. Exploração e descoberta de um mundo vasto e vivo

A exploração do metaverso é uma camada crucial que às vezes é difícil de compreender. A exploração envolve mais do que apenas examinar uma cena 3D virtual. É claro que uma imersão mais profunda nas experiências do metaverso inclui esse tipo de exploração. A oportunidade de estar entre os primeiros a experimentar novos pontos turísticos nas paisagens em constante expansão do metaverso atrai muitas pessoas.

No entanto, como já foi mencionado, o metaverso é mais do que apenas espaços 3D. As descobertas de entrada também fazem parte da exploração e descoberta. Por exemplo, os usuários acessarão frequentemente o conteúdo feito pela comunidade. Além disso, muitas empresas procuram pessoas com hobbies particulares e complementares.

O metaverso também permite a descoberta de saída. Por exemplo, o que a maioria das pessoas considera spam ou anúncios seria considerado descoberta de saída. Mas há uma característica compartilhada por todas essas situações. Todos eles se concentram em indivíduos descobrindo novas experiências no metaverso.

3. Uma economia próspera para artistas

O metaverso é o lar de uma economia robusta. Como já foi dito, as transações baseadas em blockchain ou baseadas em criptomoedas são frequentemente usadas no metaverso. A economia do metaverso, no entanto, envolve mais do que apenas trocar dinheiro por produtos e serviços. A economia do metaverso é distinta do mundo real por ser uma economia criadora.

A web inicial e o metaverso passaram por duas fases distintas de crescimento. A era pioneira é a primeira. Para produzir material na esfera digital durante esse período, era preciso ser altamente qualificado. Para produzir material para o início da internet ou metaverso, por exemplo, seria necessário ser um programador habilidoso. Seguiu-se a era da engenharia, onde as novas tecnologias simplificaram a produção de conteúdo até mesmo para codificadores inexperientes.

A era do criador é o que distingue um verdadeiro metaverso, no entanto. Aqui, pessoas comuns podem produzir itens. Eles também podem vender itens com facilidade.

4. Computação espacial que borra a linha entre o mundo real e o mundo virtual

Os limites das dimensões espaciais frequentemente desaparecem no metaverso, como já foi mencionado. As linhas entre os mundos digital e analógico ficam mais borradas à medida que o metaverso cresce. O que é real e o que é virtual? A ideia de que o mundo digital não é real é simples de afirmar. Mas e se seu dinheiro, compras exclusivas e até imóveis forem feitos online? Isso faz com que pareça extremamente real. Da mesma forma, um espaço de RV pode ter pouco a ver com a substância desse lugar.

Enquanto isso, espaços 3D podem ser simulados em mundos digitais. Você pode passear por trilhas virtuais e observar resultados tangíveis. Você pode viajar virtualmente longas distâncias, queimar calorias movendo seus braços ou pernas e simplesmente relaxar enquanto contempla horizontes distantes.

De certa forma, você não está indo muito longe quando julgado em termos analógicos. Você pode estar se movendo lentamente ou ao longo de uma trilha curta. Mas a emoção é o que conta.

5. Uma experiência interoperável com componentes descentralizados

Uma única entidade ou componente gerencia um sistema digital completo em computação centralizada. A abordagem mais simples para utilizar ou construir redes é dessa maneira. No entanto, não dá aos usuários finais muita autonomia ou autoridade. Em contraste, o metaverso depende do desenvolvimento descentralizado. Isso indica que existem vários componentes de propriedade e feitos separadamente no metaverso.

A definição precisa de descentralização difere dependendo de como é aplicada. A interoperabilidade, no entanto, é um conceito fundamental que todas as facetas do metaverso compartilham. Com base em padrões, as pessoas produzem componentes compatíveis entre si. Isso implica que as peças podem efetivamente ser retiradas e substituídas. Isso é comparável a retirar a RAM de um computador e substituí-la por um stick de RAM feito por uma empresa diferente.

O blockchain e outros sistemas são compatíveis com o metaverso graças aos padrões compartilhados. Também implica que os indivíduos podem criar suas próprias extensões ou aplicativos.

6. Interfaces Humanas que Habilitam a Interação Direta

Muitas vezes, as pessoas não sabem com que frequência usam a tecnologia. Por exemplo, um smartphone é menos um telefone e mais um poderoso supercomputador em rede. Para facilitar ainda mais o engajamento, esses dispositivos também incluem uma variedade de sensores e até uma pequena quantidade de IA. A maioria das pessoas se envolve com isso ao longo do dia sem pensar muito.

Os smartphones não estão apenas se tornando mais compactos e fáceis de usar. Além disso, eles estão sendo incorporados à tecnologia de interface metaverse. Como ilustração, o Oculus Quest combina essencialmente VR e telefones celulares. Uma interface humana no metaverso é criada com sucesso por meio da integração de componentes. Em parte significativa, as pessoas estão evoluindo para ciborgues.

Os eletrodomésticos do dia a dia estão se tornando mais inteligentes graças à internet das coisas. Produtos como óculos inteligentes apresentam uma variedade de novos recursos. Prevê-se que a prática de colocar novos sensores nos corpos das pessoas continue.

7. Um sistema para construir redes e interfaces virtuais maiores

Finalmente, uma infraestrutura sofisticada suporta o metaverso. Isto é frequentemente referido como um sistema nebuloso. No entanto, a maioria das pessoas está familiarizada com os elementos do metaverso. Por exemplo, todos estão familiarizados com redes sem fio porque usam seus telefones o tempo todo. Não só a qualidade das chamadas melhorará com as redes 5G. Além disso, oferece taxas de dados mais rápidas. Como resultado, mais pessoas poderão acessar a riqueza de dados do metaverso.

Uma interface melhor é possibilitada pela funcionalidade aprimorada dos dispositivos móveis. No entanto, também simplifica a construção de VR e outros dispositivos de exibição com dimensões pequenas. O Oculus Quest demonstra que os fabricantes são capazes de desenvolver sistemas de RV que integram componentes móveis.

A extensa integração de recursos em várias tecnologias auxilia no desenvolvimento da infraestrutura do metaverso. O acesso a ele se tornará mais prevalente à medida que o desenvolvimento continuar.

O Metaverso está Aberto para Negócios às Empresas

As empresas estão entrando em um novo mundo assustador à medida que o potencial do metaverso começa a tomar forma, e os usuários passam a fazer parte desse processo.

O Metaverso está Aberto para Negócios às Empresas

Desde que o Facebook mudou seu nome para Meta, o metaverso, que é vagamente definido como um ambiente online considerável onde as interações ocorrem por meio de avatares digitais, tornou-se amplamente aceito como um componente da “web3”, o terceiro ato da internet em que os usuários fazem a transição de consumidores a criadores e moradores de espaços virtuais.

Embora os setores de jogos e entretenimento estejam na vanguarda do atual boom do metaverso, todas as empresas estão entendendo a necessidade de agir rapidamente e evitar perder participação de mercado. De acordo com Julie Smithson, cofundadora da MetaVRse, uma empresa que ajuda empresas a desenvolver recursos de realidade estendida, “toda corporação precisa encontrar um lar no metaverso”. As empresas devem avaliar cuidadosamente seu futuro se não estiverem preparadas para isso. Tudo está caminhando nessa direção, sejam serviços ou aplicativos de treinamento.”

O metaverso já está desempenhando um papel maior na estratégia de fusão e aquisição de negócios (M&A). A Nike anunciou a aquisição da empresa de design digital RTFKT em dezembro de 2021, dizendo que o fez para investigar melhor as oportunidades oferecidas pelo metaverso. A Activision Blizzard, uma editora de conteúdo de entretenimento interativo e desenvolvedora de jogos, foi adquirida pela Microsoft em janeiro de 2022. De acordo com o gigante do software, essa mudança “fornece blocos de construção para o metaverso”.

O metaverso tem sido mais dominante no nível voltado para o consumidor como um meio imersivo. A Gucci, uma marca de moda de alta qualidade, começou a vender produtos em plataformas de jogos, com uma versão digital de uma bolsa conhecida custando mais do que a real. Com base em sua herança de corridas de cavalos ao vivo, Stella Artois colaborou com Zed Run para desenvolver uma experiência de Kentucky Derby 3D inspirada em Tamagotchi.

Precursores do metaverso, realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR), também foram inicialmente comercializados para os consumidores por meio de dispositivos como Google Glass ou Oculus. Mas eles nunca realmente pegaram. A realidade estendida realmente decolou em ambientes de trabalho, como fabricação e treinamento em saúde, porque capacitou os funcionários a assumir tarefas fundamentalmente novas, aumentando a produtividade, a colaboração e a eficiência. A era do metaverso ainda está experimentando essas mesmas dinâmicas.

A Hyundai revelou intenções de criar uma plataforma para uma meta-fábrica em janeiro de 2022 em colaboração com a Unity, fabricante de conteúdo 3D, para permitir a resolução remota de problemas, testes de novas instalações e simulações de consumidores. Para permitir a colaboração simultânea entre as equipes de design 3D usando vários conjuntos de software em um ambiente virtual compartilhado, a BMW se uniu à startup de IA Nvidia para construir um gêmeo digital de demonstração de uma fábrica da BMW.

De acordo com a empresa de consultoria de negócios Grand View Research, o mercado de gêmeos digitais – representações virtuais que funcionam como reproduções em tempo real de um objeto físico – deve aumentar para US$ 86 bilhões até 2025. As empresas que usam gêmeos digitais incluem Unilever, Boeing e Siemens Energia.

Além disso, um “metaverso de saúde” está surgindo. Para criar uma plataforma de realidade virtual que permitirá treinamento virtual, envolvimento do paciente e coaching de saúde, a empresa de terapia digital Aventyn e a empresa de tecnologia profunda 8chili fizeram uma parceria em março de 2022. A 8chili está desenvolvendo a infraestrutura básica para a criação e distribuição de conteúdo metaverso. O NHS no Reino Unido tem trabalhado com a startup de treinamento de realidade remota e aumentada Virti para treinar e aprimorar a equipe, mesmo durante a epidemia, quando muitos profissionais médicos tiveram que mudar para outras unidades e funções.

O setor de serviços financeiros, que já emprega extensivamente a tecnologia blockchain, está cada vez mais interessado em pagamentos e serviços de consultoria no metaverso. Quando o JP Morgan realizou um evento no mundo virtual baseado em blockchain Decentraland em fevereiro de 2022, criou um “lounge” lá, tornando-se o primeiro grande banco a entrar no metaverso. O banco de Wall Street afirmou que achava que o metaverso pode apresentar às empresas de todos os setores uma oportunidade de receita anual impressionante de US $ 1 trilhão. Jamie Dimon, CEO do JP Morgan, acredita que um mercado imobiliário virtual com serviços auxiliares como crédito, hipotecas e contratos de aluguel pode se desenvolver.

No mundo híbrido pós-covid, o metaverso oferece às empresas novas chances de gerenciar reuniões, videoconferências, treinamento e desenvolvimento geral da equipe em todos os setores. A Infosys, fornecedora global de serviços digitais, prevê “imensa inovação e competitividade” na área de criação e distribuição de conteúdo para o metaverso, citando gêmeos digitais de teatros, estúdios e espaços de reunião que dariam aos usuários “experiências próximas da realidade”. ” Bill Gates, cofundador da Microsoft, prevê que nos próximos dois a três anos, serão realizadas reuniões virtuais no metaverso; A Microsoft está atualmente fazendo isso internamente.

Por onde começo?

Qualquer empresa que queira alavancar o metaverso para fins voltados para o consumidor dos usuários, motivos corporativos internos ou ambos não quer ficar para trás da concorrência. Smithson adverte que pode ser mortal ignorar a tendência e os recursos subjacentes que a tornam viável, particularmente a conexão 5G e os avanços na tecnologia de chips. “Uma corporação não sobreviverá se acreditar que isso não é para ela. Todo negócio deve estabelecer uma presença no metaverso.

Como as empresas devem lançar? Se consumidores e clientes visitam regularmente mundos virtuais, decidir como sua marca deve ser representada no metaverso desses usuários deve ser uma de suas principais prioridades. Smithson afirma que “as marcas não pensaram em como elas se parecem em um ambiente espacial”. Eles sempre se viram como estando em um mundo 2D que existe no papel, em anúncios ou em artigos de revistas. Atualmente, os profissionais de marketing estão lutando para pensar em suas marcas em uma abordagem imersiva, continua ela.

Além da estética, as empresas também devem pensar nos benefícios que os usuários obterão ao participar de seu metaverso. Smithson afirma que o metaverso deve ser recompensador para os usuários, em vez de apenas uma forma passiva de entretenimento, que obriga as empresas a considerar questões como troca de valor, incentivos e vantagens. “O que você me dará se eu visitar seu metaverso como um dos usuários ou até como consumidor? Se você quiser que as pessoas retornem às experiências imersivas, você deve trocar algo por uma recompensa. Smithson pergunta: “O que são essas transações?

Finanças descentralizadas (DeFi) ou tokens não fungíveis (NFTs) – ativos digitais exclusivos, como fotos, músicas, objetos 3D ou outros trabalhos de criatividade – podem ser trocados nessas transações. Atualmente, o mercado NFT está florescendo. A primeira obra de arte da NFT foi leiloada em março de 2021 e arrecadou impressionantes US$ 69 milhões. E em dezembro de 2021, “The Merge”, comprado por aproximadamente 30.000 colecionadores por US$ 91,8 milhões, quebrou o recorde de NFT mais caro já vendido.

Muitas empresas ainda estão longe de desenvolver seus próprios NFTs ou tokens para suas marcas, de acordo com Smithson, mas à medida que o metaverso amadurece, as empresas precisarão pensar em como gerenciarão os ativos digitais em um ambiente metaverso de acordo com as leis sobre conformidade e dinheiro lavagem de dinheiro, bem como como eles reduzirão o risco de fraudes de segurança cibernética.

Segundo relatos, os cibercriminosos já estão usando links que parecem ser plataformas oficiais do metaverso para realizar ataques de phishing. E na realidade virtual, mais riscos cibernéticos podem aparecer. Essas ameaças cibernéticas podem assumir a forma de um deepfake do CEO ou avatar hackeado que pode ser usado para autorizar a transferência de fundos ou revelar informações comerciais confidenciais que podem ser usadas contra o usuário. O reino das criptomoedas e tokens não fungíveis já está repleto de fraudes (NFTs). O metaverso pode se assemelhar ao Velho Oeste, afetando igualmente o pessoal e os clientes. Em particular, à medida que vários “metaversos” se formam com lacunas ou silos de governança e verificação entre eles, serão necessárias formas sofisticadas de autenticação e verificação de identidade.

Clientes e funcionários devem levar a sério a proteção e a governança de dados. As dificuldades enfrentadas por uma empresa europeia de tecnologia médica em desenvolver treinamento e educação no metaverso são mencionadas por Julie Smithson. Muitas empresas já possuem sistemas de gerenciamento de aprendizado (LMS), que são repositórios de dados importantes, mas há muitas incertezas em relação aos dados que podem ser coletados de e sobre os funcionários, por exemplo, durante as pontuações e módulos de treinamento baseados em metaverso, como o cálculo de quanto quanto tempo alguém passa o mouse sobre um item específico ou quanto tempo leva para responder a uma pergunta. Os clientes estão tendo problemas para decidir como seguir em frente como resultado desses insights, de acordo com Smithson. Para ajudar na governança da coleta de dados na era do metaverso, o MetaVRse está enviando uma solicitação para credenciamento completo de SOC (controle de sistema e organização).

As organizações devem certificar-se de que possuem os recursos necessários, como computação em nuvem e de ponta, conectividade ultrarrápida e confiável e pessoal qualificado para criá-lo e gerenciá-lo, à medida que pensam em seu lugar no metaverso. A necessidade de trabalhadores competentes no metaverso já está aumentando. Isso inclui habilidades como modelagem 3D e jogos, que têm sido as principais dinâmicas do metaverso até agora, além de gerenciar atividades da comunidade e eventos baseados no metaverso. Assim como “gerentes de mídia social” e afins surgiram na década de 2010, antecipam o surgimento de novos nomes e responsabilidades de trabalho. Espere uma luta por pessoal especializado, semelhante ao boom do emprego de criptomoedas no setor financeiro. Também pode haver novos setores econômicos, como empregos temporários no metaverso. As modificações nas regulamentações trabalhistas na economia real também afetarão a economia online?

Sem dúvida, o metaverso está revolucionando a indústria. Mas ao pensar em casos de uso que se aplicam a toda a empresa, as empresas precisarão proceder com cautela. Embora as reuniões baseadas em metaverso tenham recebido muita atenção, a mudança para teleconferências virtuais não foi bem recebida por todos. Existe uma fadiga de zoom real. O metaverso será capaz de superar os impactos surpreendentes e perturbadores dos encontros virtuais, como a ausência de linguagem corporal e a discrepância entre fala e contato visual? Quando protegidas por um avatar, as pessoas agirão menos socialmente? Devido a milhões de anos de evolução, é impossível para os humanos entenderem completamente os pensamentos e sentimentos dos outros, a menos que estejam fisicamente presentes. Ainda há um longo caminho a percorrer antes que as delicadas nuances psicológicas da comunicação humana possam ser duplicadas online – talvez nunca o sejam.

Apesar desses obstáculos, o comportamento proativo e curioso pode ajudar empresas de todos os setores da economia a utilizar as vantagens do metaverso. Os métodos mais eficazes serão aqueles que priorizam a produção de benefícios tangíveis, calculando o retorno do investimento, minimizando os riscos, estando pronto para eles e ponderando as vantagens de um ambiente virtual imersivo em relação ao valor do analógico.

Entenda o Básico para Explorar o Novo Mundo dos Metaversos

Atualmente, as notícias relacionadas aos metaversos estão fluindo rapidamente. O metaverso tornou-se um tema tão quente que os meios de comunicação raramente dedicam tempo para explicar completamente o que é e por que é tão essencial. Esse ambiente de metaverso pode parecer complicado. A Eduvem está sempre explorando, experimentando e discutindo o metaverso, a tecnologia subjacente e os tópicos relacionados. Esperamos colocar nosso conhecimento em informações claras nesse pequeno guia sobre o básico dos metaversos para que você possa se juntar a nós em nossa viagem para um futuro onde os mundos online e real se misturam.

Entenda o Básico para Explorar o Novo Mundo dos Metaversos

Explicando o Básico dos Metaversos

Vamos começar o tutorial do Metaverso definindo o que é o metaverso. A definição de metaverso é adaptável e pode descrever uma variedade de experiências. O metaverso pode ser todo um ambiente virtual no qual você pode entrar com um fone de ouvido VR. No entanto, o metaverso também pode ser integrado ao mundo físico por meio de uma sobreposição digital mais móvel. Este método baseado em realidade aumentada recentemente ganhou popularidade por causa do Pokémon GO.

É fundamental lembrar que o metaverso tem qualidades emergentes. Ele permite que componentes online e offline colaborem e até se fundam. Isso abre a possibilidade de crescimento e desenvolvimento contínuos. O metaverso é essencialmente um reino digital paralelo ao nosso. No entanto, é um cosmos que pode se misturar ao nosso para produzir experiências imersivas, interativas e hiper-realistas.

O metaverso ainda está em seus estágios iniciais e pode ser visto como um experimento incrível que está continuamente revelando novas surpresas. Diferentes empresas e desenvolvedores podem criar interpretações muito diferentes da noção. Ninguém sabe como será o futuro do metaverso. Mas você pode começar imediatamente e observar esse crescimento por si mesmo.

Quais são as características do metaverso?

Esta seção do básico dos metaversos ensinará sobre as qualidades do metaverso. O metaverso está sempre evoluindo. Como resultado, quando as pessoas fazem login, elas sempre podem esperar encontrar novos recursos e surpresas. No entanto, existem alguns recursos que são compartilhados por todas as implementações do metaverso. Diferentes implementações podem usar essas regras de maneiras diferentes. No entanto, geralmente você pode confiar nesses princípios centrais em qualquer versão do metaverso.

Não há limites nem fronteiras

O metaverso é crucial porque não tem limitações ou limites. Você pode se deparar com locais onde não consegue progredir. No entanto, isso se deve simplesmente ao fato de que ainda nada foi desenvolvido nesses locais. O espaço é essencialmente infinito. Ele só precisa ser usado corretamente por programadores centrados no metaverso.

Não há uma única autoridade responsável

O metaverso não é como uma única casa ou edifício pertencente a uma única pessoa. É mais como um vasto terreno com uma população diversificada. As pessoas têm escrituras e provas de propriedade no mundo físico. As pessoas frequentemente o exibem no metaverso usando sistemas relacionados a blockchain.

Está sempre ligado e não pode ser desligado

Ninguém tem a capacidade de desligar a terra. Da mesma forma, as pessoas não podem desligar o metaverso. É um sistema descentralizado composto por vários componentes independentes. É verdade que alguns componentes do metaverso podem existir apenas em um único servidor, que pode ficar offline. No entanto, o metaverso não está hospedado em um único servidor.

Tem uma economia funcional, muito parecida com o mundo real

No metaverso, você pode esperar uma economia funcional alimentada por criptomoedas. As pessoas o usarão para comprar terrenos virtuais ou coisas comparáveis ​​às encontradas no mundo real. NFTs são frequentemente usados ​​para proteger ativos digitais que incorporam arte. Tudo isso permite que você compre e venda.

Proporciona uma experiência de imersão sensorial

Um ou mais sentidos estão totalmente engajados no metaverso. Normalmente, esta é a visão através de óculos de realidade virtual. Claro, as pistas auditivas são recebidas através de fones de ouvido. No entanto, o metaverso tem a capacidade de imergir totalmente as pessoas em qualquer um de seus diferentes sentidos. Essa imersão também inclui permitir que as pessoas personalizem seu mundo virtual.

As pessoas podem formar conexões sociais genuínas

As pessoas podem desenvolver laços sociais genuínos no metaverso. Esses encontros são mais frequentemente compartilhados com outras pessoas. As interações com a IA, por outro lado, podem dar estímulo social. As pessoas sempre se surpreendem e podem encontrar novas experiências através da conexão social. Isso também leva à exploração e à economia do metaverso.

Quais dispositivos você pode usar para entrar no metaverso?

Esta seção do básico dos metaversos fornecerá uma visão geral dos dispositivos que você pode usar para entrar no metaverso. O equipamento utilizado para atingir o metaverso é uma das mudanças mais significativas entre as versões iniciais e atuais. Os aparelhos sofisticados de hoje podem criar uma experiência genuinamente imersiva, fazendo você se sentir como se estivesse em outro universo. Mas como você obtém acesso ao metaverso?

Headset para realidade virtual (VR)

Os fones de ouvido de realidade virtual são semelhantes aos óculos de alta tecnologia que se encaixam nos olhos. Cada um de seus olhos é mostrado uma representação digital do metaverso VR. O arnês também rastreia o movimento da cabeça, para que sua visão mude no ambiente virtual quando você olha em volta, como na vida real. O headgear Oculus Quest 2 está disponível através do Meta, anteriormente conhecido como Facebook. Horizon Worlds, um novo software para o metaverso do Facebook, também está disponível via Meta. Os jogadores podem obter o Playstation VR da Sony. E a opção de metaverso Hololens da Microsoft é a mais cara, mas também a mais robusta.

Equipamento para Realidade Aumentada (AR)

Os equipamentos de realidade aumentada são comparáveis ​​aos equipamentos de realidade virtual, pois ambos adicionam visuais digitais à nossa visão do ambiente. A principal distinção é que a RV substitui completamente nossa percepção do mundo por uma paisagem sintética. Em vez disso, a tecnologia AR adiciona aspectos digitais à nossa visão do mundo real. O equipamento AR normalmente é mais caro porque funciona com duas partes distintas. O AR deve ser menos complicado para que você possa vagar livremente pelo mundo. Ele também precisa rastrear sua localização com mais precisão porque equipamentos maiores não restringem seu movimento.

Console de jogos

Você pode se surpreender ao saber que o principal componente do metaverso já está em sua sala de estar. O Xbox não suporta realidade virtual ou aumentada. No entanto, oferece plataformas como Roblox e um “museu metaverso” interativo. Se você possui um Playstation, pode usar o headset Playstation VR para acessar os recursos de VR. A Sony foi pioneira no campo das noções metaversais. Para o Playstation 3, o Playstation Home forneceu avanços de ponta. A Sony fará avanços semelhantes, já que o PlayStation VR oferece uma plataforma tão atraente para o desenvolvimento do metaverso.

Computador

Por causa de sua configurabilidade, os computadores são uma das melhores maneiras de acessar sistemas metaversais. Os computadores são a alternativa mais poderosa, mas também a menos amigável. A grande maioria dos programas usados ​​para alcançar o metaverso opera em computadores pessoais. No entanto, tenha em mente que nem todos os computadores são criados iguais. Para renderizar a topografia de um ambiente virtual, um computador deve ter uma GPU (unidade de processamento gráfico) decente. Você também precisará obter um sistema VR ou AR para utilizar com seu computador. Para transações dentro de um sistema metaversal, você pode até precisar criar uma carteira de criptomoedas.

Celular

Alguns aplicativos do metaverso, como o Axie Infinity, estão disponíveis apenas em uma plataforma móvel específica. No entanto, o Roblox está disponível no Android, iOS e em vários outros dispositivos. Mesmo um smartphone com iOS ou Android pode transportá-lo para outro universo. O Roblox está disponível em ambas as plataformas com e sem suporte a VR. Isso significa que você pode utilizar a mesma plataforma em seu telefone que pessoas com configurações elaboradas em computadores domésticos dedicados podem usar. O Roblox também é um bom lugar para começar, porque você sempre pode atualizar seu hardware enquanto permanece no mesmo portal de software para sua aventura metaversal.

O Básico dos Metaversos é Apenas o Começo do Aprendizado

Os metaversos têm um futuro brilhante, e é evidente que você pode aproveitá-lo agora. Mesmo equipamentos simples podem fornecer acesso aos metaversos. Além disso, a tecnologia mais moderna permitirá que você testemunhe os desenvolvimentos mais surpreendentes. Então, aqui terminamos essa pequena introdução ao básico dos metaversos, ainda há muito conteúdo pela frente e caso tenha se interessado:

Melhores Práticas e Ideias para Eventos no Metaverso!

Embora ainda em sua infância, o Metaverso está se tornando mais popular para sediar eventos. Marcas de vários setores estão explorando suas opções no mundo habilitado para AR, VR e AI. Em uma pesquisa com 1.000 pessoas, 48% afirmaram que entrariam no Metaverso para arte e entretenimento ao vivo, enquanto 44% disseram que entrariam para bitcoin e NFTs.

Melhores Práticas e Ideias para Eventos no Metaverso!

Considere estabelecer amigos virtuais, criar animais de estimação virtuais, comprar imóveis virtuais, vender itens, trabalhar em uma configuração remota realista e organizar eventos usando coisas virtuais em 3D. É para lá que vamos. A excitação em torno do metaverso não pode ser ignorada; está em todo lugar. Espera-se que valha US$ 800 milhões até 2024.

O Metaverso é uma rede de mundos virtuais 3-D onde as pessoas podem socializar, fazer negócios e fazer conexões usando seus ‘avatars’. Considere o equivalente de realidade virtual da internet de hoje. Para citar alguns, empresas de tecnologia e jogos como Meta (Facebook), Microsoft, Epic Games e Roblox estão construindo seu mundo virtual.

Com isso em mente, vamos aprender mais.

Tipos de eventos do metaverso em 2022

“Acredito que o metaverso é o próximo capítulo da internet”, declarou Mark Zuckerberg, e os organizadores de eventos já apostam no potencial exponencial deste mundo.

As reuniões do Metaverse usam o poder da realidade virtual para produzir eventos envolventes, sociais e inclusivos, atraindo patrocinadores com altos salários, registro de participantes e ROI.

Concertos/Eventos de Entretenimento no Metaverso

Os concertos são completamente envolventes. Os participantes do Metaverse podem construir avatares e sentir como se estivessem fisicamente presentes no local. E, assim como em um evento real, eles podem se envolver uns com os outros dançando, rindo e cantando junto.

Os organizadores também podem incluir um chatbot de IA como guia ou assistente para liderar, cumprimentar ou se comunicar com os participantes, além de itens 3D interessantes e envolventes que melhoram a sensação de experiências compartilhadas. Além disso, os participantes devem ser autorizados a andar e fazer novos relacionamentos.

Seja um musical, um show de comédia stand-up, uma noite de microfone aberto ou um workshop, o Metaverse está bem equipado para aumentar a venda de ingressos e as experiências de atendimento.

O show de Marshmello no jogo em Fortnite atraiu quase 10 milhões de jogadores, tornando-se o evento mais importante do jogo até hoje.

Dica profissional:

Crie uma hashtag específica do evento, agregue todo o conteúdo feito por participantes e fãs usando a hashtag e exiba-o em tempo real em um mural social.

Isso motiva os participantes a contribuir com mais conteúdo, aumentando assim o engajamento geral.

Eventos de jogos no metaverso

Embora os videogames tenham entretido o público por décadas, um tremendo progresso foi alcançado na preparação para o Metaverso. Como o Metaverse é um mundo realista, o público pode construir avatares virtuais e personalizar sua configuração, permitindo que eles tenham uma presença semelhante à que têm na realidade, mas com maior flexibilidade.

Em vez de simplesmente fazer streaming de jogos ou assistir alguém jogar, imagine poder entrar no jogo e se comunicar com outros jogadores em igualdade de condições. Do lado do organizador, os eventos de jogos do metaverso oferecem grandes perspectivas de lucro.

Os usuários do Roblox gastaram US$ 652 milhões em moeda virtual na plataforma.

Traga todo o drama dos jogos para a parede social para aumentar o envolvimento do espectador. Adicione elementos como contagem regressiva, relógio e scorecards de líderes para alavancar o entusiasmo dos jogadores.

Feiras no Metaverso

Em uma feira imersiva do metaverso, conecte seus expositores com compradores de todo o mundo. Você pode alcançar o público em qualquer dispositivo, capturar sua atenção, gerar leads e expandir seu pipeline de vendas.

Seja uma feira de alimentos, carros, imóveis, tecnologia ou outra feira comercial, os organizadores podem:

  • Desenvolver designs 3D atraentes
  • Personalizar e marcar estandes virtuais
  • Faça uso dos recursos de bate-papo ao vivo para melhorar a rede
  • Integre um carrinho de compras para aumentar as conversões
  • Para manter os convidados interessados, incorpore a gamificação como curiosidades, gincanas e assim por diante
  • Transforme vídeo ao vivo em 3D
  • Plantas 3D podem ser pré-vendidas.

A co-presença é a coisa mais legal de realizar uma feira comercial no Metaverso. Os participantes constroem seus avatares virtuais e se conectam com outros participantes. De acordo com a pesquisa, isso promove um senso de inclusão e uma experiência de co-presença do usuário.

Dica profissional:

Os expositores podem usar as paredes sociais da feira para aumentar a interação do público e obter um alcance exponencial.

Plataformas como o Taggbox Display permitem que as marcas apresentem uma variedade de conteúdo em seus murais sociais, incluindo conteúdo de marca, filmes, código HTML, códigos QR e conteúdo de patrocinadores. Uma variedade de conteúdo provoca emoções e aumenta o ROI do evento.

Cerimônias de Formatura do Metaverso

Organize uma emocionante cerimônia de formatura virtual que permita que seus eleitores se comuniquem, façam networking e celebrem juntos sem se cansar.

Plataformas como o MootUp permitem que os usuários se comuniquem 1:1 com avatares realistas por meio de videoconferência, bate-papo e videochamadas, criando uma experiência imersiva para alunos, professores e pais que assistem à cerimônia de formatura.

Além disso, como o Metaverse é social, ele permite “momentos mais refrescantes”, onde os participantes podem levar cinco com os outros e ficar casual, assim como na vida real. Isso gera uma atmosfera alegre e permite que todos aproveitem seu dia especial.

Nesse caso, estabelecer um mural social pode melhorar a experiência “uma vez na vida” das crianças, capturando todo o conteúdo feito pelos eleitores e incorporando-o posteriormente ao seu site. Existe uma maneira melhor de homenagear seus graduados? Nós duvidamos!

Funções de premiação no Metaverso

Um dos melhores casos de uso do Metaverse é, sem dúvida, organizar funções de premiação. Especificamente por causa da escalabilidade que oferece. Os planejadores de eventos não precisam reservar grandes espaços para acomodar a lista de convidados. Eles querem um modelo 3D que possa acomodar todo o brilho e esplendor.

Os participantes podem criar avatares, falar com outras pessoas, tirar fotos em cabines de fotos e passear livremente enquanto fazem conexões.

Para aumentar o envolvimento e a atenção do público, os organizadores podem fornecer perguntas e respostas ao vivo e sessões de bate-papo, conexões de plataforma e pesquisas.

Dica profissional:

Uma das tecnologias mais envolventes do Metaverse são as paredes sociais para cerimônias de premiação. Os participantes contribuirão com conteúdo com a hashtag especial do prêmio, que será exibida no mural social ao lado de indicações e conteúdo de patrocinadores.

Você também pode publicar amostras de categorias, memes e assim por diante para aumentar o envolvimento do público e criar um evento ao vivo.

Feiras de Emprego no Metaverso

Organizar feiras de emprego no Metaverse é uma excelente abordagem para identificar e contratar pessoas qualificadas para suas vagas abertas.

Os empregadores podem ter acesso a um pool de candidatos mais amplo, filtrar os melhores candidatos e interagir com eles. As corporações também podem oferecer treinamento explorando os recursos interativos de um ambiente 3D.

Crie um estande de exposição personalizável onde você pode compartilhar quadros de empregos com vagas abertas, enviar biografias e vídeos corporativos, conectar-se confidencialmente e incluir componentes divertidos e/ou itens 3D interativos.

Um estudo de 2020 descobriu que retratar trabalhadores com um avatar em um placar aumentava os comportamentos de assistência e a motivação entre os trabalhadores não vistos anteriormente.

Lançamento de produto no metaverso

A empolgação em torno da introdução do produto é genuína. As marcas podem capitalizar isso no Metaverso porque o céu é o limite com inovação e engenhosidade.

As empresas podem exibir demonstrações de produtos ao vivo ou pré-gravadas, fornecer orientações, tutoriais e depoimentos e permitir que os participantes façam pedidos diretamente do site.

Dica profissional:

Você pode incluir aspectos de sua última adição, o que outros em ordem oficial superior estão compartilhando, postagens de celebridades e imagens de produtos, além do que seus convidados contribuem em seus sites sociais.

Isso pode facilmente capturar o interesse do público e capitalizar o boom do metaverso.

A colaboração revolucionária de MootUp e Taggbox Display

MootUp é a primeira plataforma de solução de reuniões e eventos virtuais 3D do mundo, desenvolvida pelo Hyperspace, um metaverso de plataforma de negócios.

As organizações podem usar o MootUp para hospedar reuniões, eventos e reuniões da comunidade em um ambiente 3D imersivo. A plataforma pode ser acessada de qualquer dispositivo sem a necessidade de equipamentos de RV ou downloads de aplicativos.

Os clientes B2C também podem acessar integrações com aplicativos 2D e ferramentas de comunicação, como Zoom, Hopin, Teams e Slack.

Um Novo Horizonte de Possibilidades

Simplificando, as marcas podem hospedar eventos no Metaverse e aumentar o engajamento estabelecendo uma parede social dentro de um ambiente/local 3D.

O Metaverse permite que as empresas reequilibrem a combinação de eventos híbridos, virtuais e ao vivo e recuperem a espontaneidade, interatividade e emoção que eles trazem. A adição de uma parede social tem a capacidade de redefinir as experiências imersivas que o evento tem a oferecer.

Uma nova era digital chegou e essa colaboração pode ajudá-lo a aproveitá-la ao máximo em termos de receita, experiência do público e crescimento.

Metaverso e Eventos – O Futuro das Nossas Conferências?

As empresas estão começando a debater o metaverso como um potencial local primário para reuniões sociais e profissionais. Essa mudança de conversa ocorre quase dois anos depois que o Covid-19 reimaginou como nos reunimos. Isso leva à pergunta: “O que exatamente é o metaverso e o que isso implica para o futuro de reuniões, seminários, exposições, conferências e outros tipos de eventos?” para quem trabalha no setor de eventos.

Metaverso e Eventos - O Futuro das Nossas Conferências?

O que exatamente é o metaverso quando se trata de eventos?

O metaverso é um ambiente online que simula um mundo tão real e dinâmico quanto aquele em que vivemos, mas totalmente separado da internet. Embora o conceito de encontros virtuais não seja novo – as pessoas participam de webcasts e sessões ao vivo há anos, mesmo antes da epidemia – o metaverso tem a capacidade de elevar esses tipos de encontros a um nível mais alto do que nunca antes da. Como presidente de uma empresa que fornece uma plataforma para eventos virtuais, tenho visto clientes impulsionarem a demanda por experiências online mais interativas. Esses clientes querem poder participar de forma completa e fácil nas sessões, interagir com outros participantes, encontrar novos leads e, o mais importante, promover a interação humana.

Quais são alguns dos benefícios de usar o metaverso?

Como resultado da proliferação do Covid-19, várias reuniões agendadas para 2020 e 2021 foram transferidas para o online. Alguns dos eventos foram fantásticos; eles fizeram um excelente uso da tecnologia para proporcionar aos participantes novas experiências. No entanto, alguns dos eventos virtuais não foram bem sucedidos. Eu admito: nem todos os eventos são iguais. Pode ser difícil capturar o mesmo sentimento que se tem ao participar de um evento pessoalmente quando ele é transmitido online.

Existe a possibilidade de que a resposta esteja no metaverso. Quando finalmente estiver concluído, o metaverso tem o potencial de fornecer aos usuários uma experiência altamente envolvente na qual eles são livres para perambular e participar de conversas em ambas as direções sem precisar sair do conforto de suas próprias casas. Uma das coisas que torna o metaverso um conceito tão fascinante é a ideia de que ele pode funcionar independentemente do tempo, lugar ou mesmo da linguagem. Quando os indivíduos se reunirem no futuro, não terão que ir tão longe.

Um dos benefícios mais significativos do metaverso é a facilidade com que ele pode ser acessado. Se for implementado corretamente, o metaverso tem o potencial de possibilitar que indivíduos de todo o mundo se reúnam no mesmo local (embora online) de maneiras que antes eram inatingíveis ou excessivamente caras. Seria coisa do passado se preocupar com um orçamento de viagem. As pessoas se preocupariam menos em cuidar de seus filhos e entes queridos idosos. As pessoas com problemas de audição podem se comunicar por meio de linguagem de sinais ou legendas ocultas (de acordo com sua preferência). Outros que têm restrições de movimento podem se mover mais livremente de uma sessão para outra ou de uma cabine para outra. À medida que o potencial de tradução em tempo real e sob demanda se expande, os fusos horários e os idiomas podem se tornar menos significativos.

Um dos aspectos do metaverso que mais me desperta o interesse é o fato de facilitar a comunicação entre organizadores e patrocinadores de eventos com novos públicos, bem como para esses públicos se comunicarem com eles.

Quais são algumas das desvantagens associadas ao metaverso?

O metaverso, apesar de cheio de potencial, corre o risco de se tornar o último “brinquedo novo e brilhante” trazido pelo avanço tecnológico e em breve se tornará obsoleto. Você se lembra de toda a empolgação com a tecnologia vestível? Quando você viu alguém usando um par de óculos inteligentes pela última vez? Se nós, como profissionais do setor de eventos, não investirmos tanto no conteúdo de nossos eventos quanto na tecnologia que os sustenta, nosso setor pode sofrer, e o metaverso pode se tornar nada mais do que mais uma tendência passageira .

De acordo com o YouTube (via Statista), em fevereiro de 2020, a plataforma de compartilhamento de vídeos recebeu uma média de 500 horas de novos conteúdos a cada minuto. Todos os dias, novos episódios de séries são disponibilizados para streaming na Netflix, Apple TV+, Hulu e HBO Max. Como profissionais da indústria de eventos, não estamos apenas competindo uns com os outros para produzir as melhores experiências; também estamos competindo por atenção com outras mídias, como televisão, filmes, livros, podcasts, mídias sociais e outras plataformas. O metaverso tem a capacidade de ajudar a nos dar uma vantagem e nos permitir criar uma experiência que não pode ser recriada por esses tipos de comunicação unidirecional; ainda assim, devemos tentar ser tão profissionalmente produzidos, envolventes e educativos quanto eles.

Quando exatamente os eventos começarão a incorporar o metaverso?

Quando examinamos a indústria de jogos, descobrimos que milhões de indivíduos em todo o mundo adotaram mundos tridimensionais e cooperativos. Em maio de 2020, havia 350 milhões de pessoas que se registraram para jogar Fortnite. Isso deixa bem claro para mim que os indivíduos estão prontos para se ajustar ao metaverso e possuem a capacidade de fazê-lo. Segundo estimativa de Bill Gates, a transição deve ocorrer nos próximos dois a três anos. Com toda a honestidade, no entanto, só o tempo dirá. É possível que pessoas comuns saiam e peguem seus próprios óculos de realidade virtual para que possam participar de um evento de networking? Acredito nisso até certo ponto.

Embora eu preveja que haverá algumas pessoas que preferem esses mundos virtuais, também prevejo que haverá outras pessoas que continuarão a encontrar valor na interação humana não filtrada. No final, acho que é mais provável que veremos eventos que ofereçam uma combinação de experiências do metaverso, experiências virtuais bidimensionais clássicas e boas experiências pessoais à moda antiga. Na verdade, já estamos começando a ver a possibilidade de eventos híbridos surgirem, apesar de ainda não termos chegado a um ponto de inflexão.

Elementos do metaverso, como sessões de breakout virtuais e gamificação, estão sendo incluídos em um número crescente de plataformas de tecnologia de eventos, incluindo a que minha empresa produz. Não tenho dúvidas de que à medida que o tempo passa e a tecnologia é adotada por mais pessoas, começaremos a ver eventos que combinam componentes meta e físicos, bem como eventos que permitem aos participantes ainda mais alternativas de como eles gostariam de participar. Não é difícil para mim imaginar um cenário em que o streaming padrão ocorra pela manhã e, em seguida, um mixer do metaverso ocorra à tarde do mesmo dia.

Os planejadores de eventos, empresas de tecnologia de eventos e profissionais de marketing devem continuar sendo ágeis, flexíveis e inovadores para que os eventos prosperem nesta nova era: uma em que nos inclinamos para a mudança e abraçamos a criatividade que o metaverso permite ao entregar o mais inovador , envolvente e “sempre ativa” eventos do futuro.

Treinamento Corporativo e o Metaverso – Um Novo Local de Trabalho

Você se lembra do metaverso? Claro que você faz; é um dos termos mais quentes em 2022! O Washington Post define a frase como “um mundo virtual compartilhado que está consistentemente online e ativo, mesmo sem as pessoas se conectarem”, mas a citação acrescenta: “Ele terá sua própria economia, completa com empregos, áreas de compras e mídia para consumir .” Por uma boa causa, o metaverso está fervilhando no setor K-12, mas seu alcance se estende além da sala de aula e também no local de trabalho! Você está curioso sobre como o metaverso está mudando o treinamento corporativo? Leia!

Treinamento Corporativo e o Metaverso - Um Novo Local de Trabalho

Uma abordagem diferente para o treinamento corporativo, pelo metaverso

O diretor de marketing da Attensi, Anthony Wong, define o metaverso em um artigo para a Forbes. “Muitos pensam no metaverso como uma peça específica de tecnologia, mas, na realidade, é uma transformação na forma como interagimos com a tecnologia e nossa conexão com o ciberespaço”, escreve ele. A funcionalidade que conhecemos e apreciamos em nossa internet moderna permanecerá praticamente inalterada… O metaverso, por outro lado, fornecerá métodos mais participativos para interagir com o mundo online, principalmente através do uso de realidade virtual e aumentada.” “Idealmente , o metaverso é a junção perfeita da realidade e da realidade virtual”, continua.

O que essa confluência significa para o local de trabalho? De acordo com Wong, o metaverso oferece uma variedade de possibilidades de treinamento que antes não estavam disponíveis em muitos campos. Ele usou o exemplo de um engenheiro aeroespacial que, por causa da realidade virtual, agora pode ensaiar e errar sem colocar em risco ninguém nem nada. Essa noção já foi discutida anteriormente, principalmente no contexto do treinamento em realidade virtual para estudantes e profissionais de medicina. Acreditamos que a capacidade de aprender e desenvolver a partir do fracasso é tão vital quanto o sucesso, e os jogos oferecem uma oportunidade única de explorar, experimentar, falhar e aprender sem causar danos a nós mesmos ou aos outros!

No entanto, os benefícios do treinamento no metaverso não se limitam à engenharia aeroespacial e à cirurgia. O treinamento em RV também oferece aos funcionários oportunidades para adquirir e aprimorar habilidades sociais. Comunicação, cooperação, pensamento crítico e outras habilidades sociais são essenciais em qualquer setor. “Os avatares do metaverso podem ajudar a cultivar um importante atendimento ao cliente e outras habilidades voltadas para as pessoas”, acrescenta Wong. Isso pode ser especialmente útil nas indústrias de hospitalidade, varejo e lazer. Crie clientes e configurações alternativos para sua equipe jogar e ver o que acontece.” Ele também menciona como o treinamento do metaverse torna mais fácil do que nunca “alcançar equipes em escala internacional”. mundo para ajudar a nutrir, treinar e expandir sua empresa!

Você tem que se mover rapidamente

O treinamento corporativo no metaverso pode não apenas ajudar sua equipe a adquirir habilidades sociais e se conectar uns com os outros, mas também ajudá-los a aprender mais rapidamente. Quer aumentar a produtividade da sua empresa? Um estudo recente descobriu que o uso de RV no local de trabalho pode reduzir o tempo de treinamento em até 60%. Isso não é nenhuma surpresa para nós! Como dito anteriormente, a RV pode diminuir o estresse associado a cenários de alto risco, permitindo que os funcionários ensaiem uma tarefa sem colocar ninguém em perigo. A RV também é muito imersiva, o que pode fazer com que os funcionários se sintam mais engajados com seu trabalho e mais compassivos com os outros.

De acordo com estudos, “as soluções de RV no local de trabalho diminuíram muito o tempo dos funcionários na conclusão das atividades, permitindo o domínio rápido das habilidades e reduzindo amplamente os erros e a necessidade de chamadas de suporte”. Isso é especialmente crucial agora, pois muitas empresas ainda estão lidando e se recuperando do surto de COVID-19. Em indústrias onde há escassez de pessoas, como a área médica, o treinamento em RV oferece uma solução para treinar funcionários de forma rápida e eficiente.

Reimaginando o local de trabalho

O escritório, não o programa de documentários da NBC. Você sabe, o lugar com todas as mesas e computadores e fotocopiadoras e o único micro-ondas compartilhado que esperamos nunca ter sido usado para aquecer sobras de salmão e legumes antes da pandemia? Além de reinventar aulas e viagens de campo, o metaverso poderá em breve redefinir nossa percepção do “escritório”.

As atividades de trabalho no metaverso incluem experiências de aprendizado imersivas, mas também podem ajudar os funcionários remotos a se sentirem como se estivessem em um escritório designado fora de suas casas. Funcionários remotos podem experimentar estresse, solidão e desengajamento devido à “fadiga do zoom”, ataques de e-mails e textos e menos oportunidades de conhecer seus colegas de trabalho. De acordo com Paola Peralta, editora associada do Employee Benefit News, “desde o início da pandemia, o engajamento tem sido uma das principais preocupações dos empregadores – 51% dos funcionários estão desengajados no trabalho e 13% estão ativamente desengajados, o que significa que estão infelizes no trabalho. e sentir-se negativamente em relação ao seu ambiente.” No entanto, muitos funcionários ainda preferem trabalhar em casa, tornando o metaverso ideal para integrar o trabalho virtual com interações ‘pessoais’.”

Em outras palavras, o metaverso pode fornecer um ambiente menos exaustivo e solitário para trabalhar. Os funcionários podem ter o melhor dos dois mundos: a conveniência e o conforto de trabalhar em casa, bem como a conexão e a motivação que são mais comumente sentidas no escritório. Em um artigo para The Conversation, Sam Gilbert, pesquisador afiliado do Bennett Institute for Public Policy da Universidade de Cambridge, escreve: “O metaverso 1.0 sem dúvida verá organizações criando ambientes de trabalho de RV persistentes, nos quais os funcionários podem interagir em tempo real como avatares encarnados.” Espaços de escritório de RV podem ser construídos para incentivar reuniões casuais e discussões de corredor. Imagine sair da sala de conferências e atravessar um átrio virtual animado para ir de uma reunião remota para outra.” Gilbert menciona tecnologias existentes, como Metapolis Horizon Workrooms, Microsoft Mesh e escritório de realidade virtual de 30 andares da Zigbang, Metapolis.

Gilbert também menciona que trabalhar no metaverso pode trazer benefícios adicionais, como redução do viés nas entrevistas de emprego e facilidade de implementação entre as gerações mais jovens de trabalhadores, que já possuem o conhecimento técnico para se adaptar a esse novo método de navegação no escritório.

Em um futuro próximo, em vez de entrar no carro para dirigir ou ficar sentado em sua mesa em casa na frente de um computador o dia todo, “ir para o trabalho” pode envolver usar um headset de RV e vagar pelo local de trabalho enquanto permanece em casa. Ou talvez este já seja um presente para muitas pessoas! Independentemente das especificidades, o metaverso fornecerá aos funcionários de todos os setores inúmeros benefícios, incluindo a capacidade de um treinamento corporativo mais eficaz, crescer na compreensão de si mesmos e dos outros e estar no escritório e em casa ao mesmo tempo, colhendo os benefícios de ambos os ambientes.

Qual o significado do Metaverso para a indústria de eventos?

Foi recebido com pouca controvérsia quando o Facebook se relançou como Meta em outubro de 2021 para representar sua concentração no metaverso. A mudança pretendia simbolizar a mudança do Facebook em direção ao metaverso. Apesar disso, não há dúvida de que o investimento no metaverso aumentará dramaticamente ao longo dos próximos anos; de fato, a Bloomberg estima que seu valor chegará a US$ 800 milhões até o ano de 2024. A indústria de eventos corporativos é um dos setores em que se prevê que o metaverso terá um impacto especialmente significativo.

Qual o significado do Metaverso para a indústria de eventos?

O que é essa coisa de “Metaverso”?

Um ambiente 3D persistente e imersivo que faz uso substancial de tecnologias novas e emergentes, como realidade virtual e aumentada, é chamado de metaverso. Em sua forma mais básica, o termo “metaverso” descreve o ambiente. Pretende transportar os utilizadores para além dos limites do ecrã e para vários mundos virtuais.

Ao contrário do que a maioria das pessoas acredita, o Meta de Mark Zuckerberg não é o único jogador no metaverso, nem foi o primeiro. Pelo contrário, foi o segundo. A ideia já foi posta em prática há quase vinte anos, com o Second Life da Linden Lab servindo como um dos primeiros exemplos de uma plataforma multimídia online.

Outra falácia generalizada em relação ao metaverso é a ideia de que ele foi criado em grande parte com o objetivo de fornecer jogos imersivos e outras formas de entretenimento. Apesar de fazer uso de um número significativo das mesmas tecnologias empregadas na indústria de jogos, o metaverso é significativamente mais avançado. Em particular, tem o potencial de trazer reuniões híbridas e virtuais, bem como reuniões, para um nível totalmente novo de imersão.

Como se navega pelo Metaverso?

O metaverso pode se manifestar de várias maneiras. Algumas das plataformas mais antigas, como Second Life, acontecem puramente na tela e não incorporam nenhum elemento de realidade virtual. O Second Life também tem sido usado para reuniões de negócios virtuais, e algumas das empresas mais conhecidas do mundo até compraram imóveis virtuais na plataforma.

Para produzir uma experiência muito mais imersiva, ideias modernas como Meta, que está passando por pesquisas significativas no momento, combinam elementos de realidade virtual, realidade aumentada e realidade física. Isso começa com a criação de um avatar, que é a representação de uma pessoa no ambiente virtual. Depois disso, o indivíduo poderá participar de todas as atividades disponíveis no mundo virtual.

Exemplos do metaverso em outros domínios

Existem vários aplicativos para o metaverso que não têm nada a ver com jogos. Um participante, por exemplo, poderia utilizá-lo para passar tempo com amigos à distância, fazer compras em lojas virtuais ou participar de eventos virtuais. O metaverso tem o potencial de ajudar a preencher a lacuna entre o mundo real e o mundo virtual, o que é benéfico para eventos e reuniões de negócios. Isso adicionará um grau totalmente novo de consistência e imersão ao formato de eventos híbridos que está se tornando cada vez mais popular na sociedade atual.

Outra versão do metaverso que está ganhando força é chamada Decentraland. Essa plataforma permite que indivíduos e empresas vendam imóveis virtuais para criptomoedas como bitcoin e ethereum. A necessidade cada vez maior desses tipos de plataformas levou muitas empresas com visão de futuro a fazer investimentos em propriedades digitais para ampliar sua base de clientes e até estabelecer configurações de escritórios virtuais. Isso tem repercussões significativas para reuniões de negócios e outros eventos, principalmente nos locais de trabalho distribuídos que prevalecem na sociedade atual.

Que tipo de efeitos o Metaverso terá na indústria de eventos?

O fato de o metaverso fornecer um espaço infinito para o desenvolvimento de novas ideias é provavelmente o impacto mais significativo que ele tem para a indústria de eventos. Por outro lado, um local de trabalho ou sala de conferência pode acomodar apenas uma quantidade limitada de monitores, e cada monitor pode exibir apenas uma quantidade específica de fluxos de vídeo ao mesmo tempo. Quando se trata do metaverso, o número de pessoas que podem participar ativamente não é limitado de forma alguma.

Devido à natureza muito imersiva e escalável do metaverso, é possível usá-lo como local para eventos de praticamente qualquer tamanho, incluindo grandes feiras comerciais e outros eventos semelhantes. Por exemplo, uma empresa pode participar de um grande evento virtual criando um estande virtual que os visitantes podem abordar no mundo virtual de uma maneira comparável a como fariam em um evento real.

O afastamento que vem com o trabalho à distância pode ser mitigado pelo uso do metaverso para eventos em menor escala, como reuniões de negócios e conferências. Isso tem o potencial de melhorar o envolvimento dos funcionários e a cultura geral da empresa de uma maneira que as reuniões virtuais usando softwares como Zoom ou Microsoft Teams simplesmente não podem.

A componente de participação é outra faceta que não deve ser descurada. A ideia de gamificação, que vem se popularizando cada vez mais nos últimos anos como técnica para atrair a atenção de clientes, funcionários e, no caso de eventos, participantes, é significativamente ampliada pelo metaverso. Isso leva a locais de trabalho mais dinâmicos e vinculados, bem como indivíduos mais capazes de se expressar criativamente e com mais oportunidades de autoexpressão. Afinal, o metaverso oferece aos jogadores um número quase ilimitado de opções para personalizar suas identidades virtuais através do uso de avatares que podem ser modificados. Ele também apresenta uma maneira inteligente e divertida de se comunicar com os clientes, o que é importante tanto para o metaverso quanto para o marketing. Depois de tudo dito e feito, o metaverso é uma melhoria significativa em relação às ocorrências virtuais e híbridas às quais todos estamos acostumados por causa da epidemia.

A influência nos eventos híbridos é especialmente significativa porque o metaverso ajuda a reduzir a lacuna que existe entre quem assiste presencialmente e quem assiste eletronicamente. Em qualquer um dos cenários, o público tem a oportunidade de participar de um evento igualmente interessante e de alto padrão.

Quais são alguns dos problemas associados ao uso do Metaverse?

Pelo menos na forma que Mark Zuckerberg, o fundador da Meta, imaginou, o metaverso ainda está em seus estágios iniciais. Além disso, há preocupações consideráveis ​​em relação a questões de privacidade e uma variedade de outros motivos. Além disso, precisamos levar em consideração o fato de que uma quantidade significativa de comunicação é transmitida através da linguagem corporal, seja a comunicação feita intencionalmente ou inconscientemente. Pelo menos por enquanto, isso certamente se perderá em um mundo virtual.

Não há dúvida de que o metaverso tem a capacidade de abalar significativamente a indústria de eventos, apesar de já ter e poder ter no futuro uma série de desvantagens. No entanto, em vez de vê-lo como um método para interromper e refazer fundamentalmente o ambiente de eventos como existe hoje, uma abordagem mais construtiva seria entender como ele pode complementar as formas de eventos híbridos existentes. Esta seria uma estratégia com maior probabilidade de resultar em resultados positivos. A coisa mais importante a ter em mente é que os encontros cara a cara são essenciais para o processo de desenvolvimento da confiança. No entanto, apesar do envolvimento físico ser sempre insubstituível, nem sempre é possível. Em circunstâncias como essas, o metaverso pode muito bem acabar sendo a alternativa mais adequada.

O Metaverso e os Eventos Corporativos – Uma Via de Mão Dupla

Ao longo do último ano e meio, uma das tendências mais comentadas tem sido o metaverso. Por causa disso, analistas da Bloomberg estão projetando que até o ano de 2024, o metaverso pode se tornar uma indústria no valor de US$ 800 bilhões. Mas como o metaverso pode beneficiar a indústria de eventos corporativos?

O Metaverso e os Eventos Corporativos - Uma Via de Mão Dupla

A instalação Gucci Garden, o pop-up virtual da Samsung em Nova York e, mais recentemente, a Metaverse Fashion Week, onde Dolce & Gabbana, Selfridges e muitos outros varejistas exibiram seus produtos, são apenas alguns exemplos das muitas marcas que abraçando a plataforma como uma forma de gerar buzz e intriga nos últimos anos.

Como, então, o metaverso e as moedas não tradicionais (NFTs), frequentemente e às vezes intimamente ligadas a essas experiências, podem ser utilizadas em eventos corporativos?

Questões-chave para refletir antes de mergulhar de cabeça

É vital evitar investir no metaverso apenas por investir nele, como é o caso de todas as tecnologias mais recentes e brilhantes que estão disponíveis atualmente. Há, sem dúvida, algumas perspectivas fantásticas para as empresas nessa área. Da mesma forma que um evento convencional requer uma quantidade significativa de tempo gasto planejando e criando estratégias antes que possa acontecer, a criação de um metaverso também deveria.

Faça as mesmas perguntas para si mesmo que você faria a outra pessoa ao fazer um briefing para um evento. Pense se esse é ou não o caminho adequado para a empresa seguir neste momento, quais metas ou objetivos a experiência ajudará o negócio a alcançar e se é relevante ou não para o público que você está tentando alcançar. Também é essencial ter em mente que o desenvolvimento de um metaverso requer tempo e, em alguns casos, a passagem de anos; assim, você deve se perguntar se isso é viável, dada a linha do tempo com a qual está trabalhando.

Desenvolvendo metaversos com significado

O metaverso, assim como os eventos corporativos, trata de reunir pessoas que têm interesses e paixões semelhantes de maneira significativa, para que possam se conectar, aprender coisas novas e até se divertir.

O metaverso leva as coisas um passo adiante, permitindo a criação de civilizações virtuais que podem continuar a existir indefinidamente, com indivíduos e seus avatares tendo a liberdade de entrar e sair dessas sociedades à vontade. Por permitir que as empresas continuem a conversa que já estão tendo com suas comunidades além dos limites do mundo físico, o metaverso apresenta uma riqueza de oportunidades para eventos corporativos. Esses eventos podem variar de conferências e exposições a iniciativas e incentivos de engajamento de funcionários.

O metaverso nos permite criar mundos de marca nos quais as pessoas podem se encontrar e se conectar umas com as outras, fazer compras de NFTs (mais sobre isso mais tarde) e jogar em horários convenientes para elas, enquanto consomem conteúdo e informações que é pertinente às suas funções e à sua marca. Assim como um ciclo de notícias, esses mundos podem ser atualizados uma vez por dia ou várias vezes ao dia.

Isso pode ser complementado com uma série de experiências de eventos virtuais exclusivas que são hospedadas de forma recorrente no metaverso; por exemplo, uma vez por semana ou uma vez por mês. O significado é produzido como resultado de pessoas formando conexões únicas umas com as outras, e elas também retornam com o propósito de promover sua educação.

Utilizando a conexão que existe entre o metaverso e os NFTs

Os NFTs, que são certificados digitais que agem como prova de propriedade de um indivíduo de algo similarmente digital, têm sido usados ​​para vender de tudo, desde obras de arte e carros de edição limitada até itens de moda de alta qualidade, até onde vimos. Os NFTs foram desenvolvidos pela National Futures Association (NFA), fundada em 1988.

Eles estão sendo adotados com entusiasmo como uma espécie de moeda no metaverso e têm o potencial de serem adições poderosas aos eventos de negócios que são hospedados nesse reino.

Os ingressos para eventos criados com NFTs podem incluir obras de arte produzidas em edição limitada ou outros aspectos únicos. Isso, por sua vez, confere ao evento um nível adicional de exclusividade e motiva os convidados a manter seus NFTs para uso futuro. Isso implica que eles servem como um lembrete da experiência e ajudam a manter o seu negócio e o evento na mente dos destinatários.

No exemplo do metaverso que forneci anteriormente, os tíquetes NFT têm o potencial de se tornarem coisas colecionáveis. Os participantes podem optar por armazenar os ingressos que obtiveram para cada evento em um arquivo e vê-los como pertences valiosos. As pessoas compram tokens não fungíveis (NFTs) de macacos do Bored Ape Yacht Club para não apenas se tornarem proprietários desses colecionáveis ​​digitais únicos, mas também para receber um cartão de membro do Yacht Club. Este cartão concede-lhes acesso a uma comunidade online exclusiva apenas para proprietários, bem como vantagens e benefícios especiais. Este é um ótimo exemplo de como esse conceito se parece na prática.

Outro exemplo fantástico de utilização é a distribuição de informações confidenciais em textos de não ficção que são usados ​​como ingressos e apostilas. É possível manter a segurança e a confidencialidade ao usar NFTs porque a propriedade de um NFT não pode ser falsificada e seu uso não pode ser transferido.

No lugar das bolsas de brindes que eram comuns no passado, os organizadores de eventos no metaverso agora podem produzir experiências únicas, criar uma série NFT colecionável para um evento ou reunir uma comunidade de pessoas com interesses semelhantes.

Como não há necessidade de fazer coisas físicas, esse método também é muito mais ecológico, pois tudo pode ser mantido online.

Além disso, NFTs podem ser utilizados para fornecer aos usuários acesso a áreas exclusivas do metaverso ou experiências únicas incluídas nele. Isso pode significar fornecer acesso a um espaço de mesa ou a uma sala de reuniões em uma Soho House virtual, que é um lugar onde um número seleto de indivíduos criativos se reúne para uma reunião regular – algo que seria impossível planejar na realidade.

Antes de fazer qualquer investimento financeiro no metaverso, você deve primeiro concluir uma série de etapas estratégicas e de planejamento cruciais; no entanto, uma vez que você tenha chegado ao metaverso, você descobrirá que há um grande potencial inexplorado em termos de hospedagem de eventos corporativos. Nas próximas semanas, meses e anos, não há dúvida de que eles continuarão a se expandir como resultado da crescente sofisticação da tecnologia subjacente.

Eduvem é finalista do 1º Ciclo de Aceleração EduStartups da PUCRS, o Tecnopuc, Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista e a aceleradora Wisidea.

A sociedade está sendo desafiada a pensar de forma criativa e financeiramente sustentável os novos processos educativos informais, formais e corporativos, principalmente considerando a incorporação de novas tecnologias. As organizações e os cidadãos têm buscado tecnologias de informação e de comunicação que desafiam as culturas de ensino estabelecidas.

Um crescente número de startups tem gerado novas soluções que permitem, por exemplo, uma maior interação entre docentes e estudantes, acesso ao conteúdo em múltiplas plataformas e melhorias no processo de aprendizagem. A solução para grande parte dos desafios na área da educação pode ser alcançada por meio da colaboração ativa entre os diversos atores do setor.

O que é o Programa de Aceleração EduX?

O 1° Ciclo do Programa de Aceleração EduStartups (pilar do Hub para startups) é uma iniciativa da PUCRS, Tecnopuc, Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista e Wisidea, voltada para o empreendedorismo e desenvolvimento de startups de bases tecnológicas que possuem soluções inovadoras para a área da Educação. A iniciativa foi criada com o intuito de acelerar o desenvolvimento de startups atuantes na área de Educação, as chamadas edtechs, através de conexões, mentorias, eventos, networking, proximidade com potenciais investidores e ampliação da atuação no mercado.

Onde posso saber mais sobre o que é o Hub EduX?

Basta acessar o endereço eletrônico https://www.hubedux.com.br e ficar por dentro dos eventos, notícias e demais informações que o Hub está promovendo. Caso deseje saber mais a fundo sobre o Hub e o que há por trás dele, acesse https://www.hubedux.com.br/manifesto.

Como a Escuta Social ajuda a tomar decisões de focadas no consumidor

Todos os dias, novas empresas surgem no mercado mundial, mas estabelecer-se no pensamento dos consumidores e conquistar a fidelidade dos clientes continua sendo uma luta. As análises de escuta social podem ajudar as marcas a tomar decisões centradas no consumidor.

Como a Escuta Social ajuda a tomar decisões de focadas no consumidor

Durante a epidemia de COVID-19, o uso das mídias sociais pelos consumidores se expandiu significativamente. Portanto, as empresas líderes devem aproveitar a análise de escuta social para tomar decisões baseadas em dados, em vez de confiar na intuição.

O que constitui a Escuta Social?

A escuta social é importante para compreender o pensamento dos consumidores. Analisar os dados disponíveis de vários sites de mídia social para identificar os requisitos, interesses e preocupações dos consumidores ajuda os executivos de negócios a tomar as melhores decisões.

Ele utiliza plataformas de mídia social como Twitter, YouTube, Reddit, Instagram e Facebook, bem como as interações entre usuários de mídia social e tendências diárias.

Por que as empresas exigem a Escuta Social?

As marcas devem examinar vários elementos, incluindo conhecimento da concorrência, opinião do consumidor e potencial de crescimento; as seguintes análises os ajudam a fazê-lo.

Análise de Espaço em Branco — Para descobrir perspectivas de expansão

A análise do espaço em branco permite que uma empresa identifique as lacunas entre as coisas que seus clientes já compraram e os outros produtos que a empresa oferece. Esse processo é conhecido como “mapeamento de espaço em branco”. Por meio do uso desse método de mapeamento, podemos identificar chances de cross-selling e upselling.

  • A venda cruzada (cross-selling) envolve a venda de produtos complementares aos clientes, dependendo do produto que eles já compraram.
  • Upselling é a prática de vender produtos adicionais relevantes aos clientes para complementar e aprimorar seus produtos existentes.

Além de focar nos clientes, a análise de espaço em branco também é usada para monitorar de perto as perspectivas dos concorrentes, setores e partes interessadas. Contribui para o crescimento da receita de uma empresa.

Essa pesquisa é realizada manualmente usando uma plataforma como o Salesforce que coleta e analisa todos os dados do cliente.

A técnica utilizada na Análise de Espaço em Branco

  1. O primeiro passo para identificar uma oportunidade de espaço em branco é entender seus consumidores existentes – quais são seus investimentos atuais em produtos? Quais produtos os clientes já compraram?
  2. A fase seguinte é oferecer os produtos a novos clientes em oposição aos existentes.
  3. Realizar uma pesquisa de clientes atuais sobre os produtos da empresa.
  4. Trabalhe em novos clientes potenciais, como contatar clientes existentes diretamente, agendar uma reunião e preparar os dados dos clientes para entrada no espaço em branco. Em seguida, crie produtos e serviços valiosos e, em seguida, segmente os clientes com métodos de marketing.

Avaliação do concorrente

O objetivo da análise da concorrência é determinar os pontos fortes e fracos da empresa em relação aos seus concorrentes. O principal objetivo dessa análise é encontrar áreas em que a empresa é superior aos concorrentes e vice-versa. As oportunidades de espaço em branco nos permitem atingir os clientes de forma mais eficaz do que a concorrência. Ao analisar os concorrentes, pode-se determinar onde estão os investimentos de seus consumidores e, em seguida, selecionar o produto adequado para atender às suas demandas.

Aqui está uma visão detalhada de como as organizações podem realizar análises competitivas.

  1. Crie uma lista de concorrentes realizando uma pesquisa por seus produtos em um mecanismo de pesquisa para identificar empresas rivais. Antes de escolher seus produtos, você também pode pesquisar seus clientes existentes sobre suas preferências de marcas alternativas. Existem duas categorias principais de concorrentes: concorrentes diretos que vendem produtos idênticos aos clientes e concorrentes indiretos que vendem produtos diferentes aos mesmos clientes.
  2. Crie uma matriz ou grade para comparar suas descobertas com as de seus concorrentes.
  3. Colete informações básicas sobre a concorrência, incluindo seu site, contas de mídia social, artigos sobre sua empresa, localização e tamanho.
  4. Colete informações sobre os clientes-alvo dos concorrentes e desenvolva novas estratégias para cobri-los.

Análise de sentimento – Para obter a opinião do cliente

A Análise de Sentimento é usada para examinar as opiniões dos usuários sobre qualquer assunto. Determina, por exemplo, se uma campanha de mídia social obtém ou perde audiência. Além disso, é utilizado para descobrir todos os problemas atuais do cliente para suporte ao cliente e empresas baseadas em serviços.

Quem deve utilizar a Escuta Social?

Todas as empresas e marcas podem lucrar com o feedback de seus clientes.

Feedback de clientes, análises de produtos e debates sobre produtos são inestimáveis ​​para qualquer marca. Essas informações representam a popularidade e o desempenho de uma marca. Um negócio que desconsidera as opiniões desfavoráveis ​​de seus clientes acabará fracassando.

Lidar com emoções negativas e críticas é essencial para que uma empresa demonstre como vê seus consumidores e feche as lacunas de experiência.

Assim, toda marca com comércio direto com os clientes deve utilizar a escuta social para se destacar e se firmar no mercado.

Onde a Análise de Escuta Social pode ser realizada?

Twitter, Facebook, Reddit, Pinterest e LinkedIn são plataformas de mídia social onde hashtags, menções, comentários, curtidas e compartilhamentos podem ser analisados.

Curtidas, desgostos e comentários em sites de streaming de vídeo como YouTube, Vimeo e Dailymotion podem ser usados ​​para analisar o alcance e a popularidade de um produto.

Quando é realizada a Análise de Escuta Social?

Quando uma empresa planeja lançar um produto, a análise de escuta social pode ser usada para avaliar o alcance do produto após o lançamento, identificar lacunas entre a empresa e os clientes e melhorar o crescimento da empresa de várias maneiras.

Administração de reputação

É essencial preservar a reputação da marca. Estabelecer a reputação de uma marca envolve entender o que os consumidores acreditam sobre a empresa e que tipo de opiniões são postadas nas mídias sociais. Então, as marcas devem tomar decisões para permanecer no mercado com base nas descobertas.

Cative o foco dos clientes

Cada marca terá sua própria página de mídia social e identificador. Usando sites de mídia social, as marcas podem lançar várias campanhas para aumentar o reconhecimento da marca e aumentar o valor da marca na mente dos consumidores. Além disso, a análise de escuta social nos mesmos tópicos (respostas do usuário, comentários e menções) contribui para a aquisição do interesse do cliente pela marca, recursos adicionais e feedback do produto. Isso ajudará as marcas a manter a uniformidade em todo o setor a longo prazo.

Preencha as lacunas de conhecimento

É essencial preencher a lacuna entre a experiência do cliente e a qualidade do produto. Pode haver dificuldades recorrentes, como atrasos na entrega e características do produto. Seria ideal se você colaborasse com equipes dentro de sua organização para lidar com reclamações de consumidores depois de descobri-las.

Resumo

Em conclusão, a análise de escuta social é o método mais prevalente para obter insights do cliente para tomar decisões sustentáveis ​​da empresa. A escuta social fornecerá feedback sincero e em tempo real sobre todas as marcas, o que é superior às opiniões obtidas em pesquisas públicas. Além disso, é uma estratégia econômica que oferece várias vantagens:

  • Saúde da marca: a medição das percepções do consumidor sobre uma marca ou seus produtos
  • Insights do setor: analisando comentários ou hashtags específicos do setor.
  • Análise de oportunidades: Analisar a possibilidade de diferenciação do produto no mercado.
  • Analise uma marca ou produto concorrente em uma análise competitiva.
  • Análise de campanha é descobrir como o público-alvo responde à campanha.
  • Monitoramento de eventos: observe a reação do público a uma conferência ou outro evento.
Scroll to top