Informações

Eduvem no maior evento de tecnologia da China

A convite da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SEDET) iremos participar da China Hi-Tech Fair, a maior feira de tecnologia da China.

O evento acontecerá entre os dias 17 e 21 de novembro de 2021, em formato virtual e presencial na cidade de Shenzhen, China. Dessa forma, as atividades ao vivo do evento serão realizadas no Fuso Horário dessa região, que são 11 horas a mais que o fuso horário de Brasília.

🤝 Reuniões bilaterais com grandes empresas de tecnologia do mundo!
🚀 Stand virtual na maior feira de tecnologia da China!
🖥️ Mais de 2 MILHÕES de participantes apenas no formato virtual!

#GoEduvem

BS Innovation Hub inaugura estrutura física

O espaço fica localizado no BS Design, e possui 300 metros quadrados, com recepção, duas salas de reuniões, apoio de marketing e jurídico.

Nesta terça-feira (29) aconteceu a inauguração do BS Innovation Hub, com evento online e presencial, restrito a convidados. O espaço fica localizado no BS Design, e possui 300 metros quadrados, com recepção, duas salas de reuniões, apoio de marketing e jurídico, além de um salão com 20 assentos para mantenedores, sala de direção, espaço de descompressão e dez salas destinadas às startups.

À frente da gestão, os sócios Eduardo Hamdan, Marcus Vinícius Saraiva e Strauss Nasar se uniram fruto da iniciativa das empresas Gomes de Matos Consultoria, Cordel Ventures e BSPar Incorporações. O Edital do BS Innovation Hub, lançado em março, selecionou e já está acelerando 8 startups nesse 1º semestre de operação e a Eduvem foi uma das escolhidas para aceleração. O próximo edital de seleção será aberto em outubro.

O objetivo do BS Innovation Hub é fortalecer o ecossistema de inovação no Estado do Ceará e priorizar, inicialmente, oito segmentos de negócios, entre os quais foram contemplados no primeiro edital: marketing e vendas, construção civil, internet das coisas, saúde, educação, finanças e logística.

Segundo o sócio Eduardo Hamdan, o Ceará é muito fértil neste aspecto, e tem um grande potencial de crescimento e escala, contudo a mortalidade das empresas também é expressiva pela falta de incubação, aceleração, mentoria e incentivos.

“O Ceará está em 11º lugar em número de startups no Brasil e há 187 startups registradas, segundo a Associação Brasileira de Startups. A mais conhecida é a unicórnio Arco Educação. O potencial do Ceará é absurdo e precisa ser melhor explorado”, afirma.

Estudo comprova: jogar videogame faz bem ao cérebro.

Mais um estudo foi divulgado para comprovar que sim, os videogames fazem bem à saúde. Pesquisadores constataram que jogar desenvolve as regiões do cérebro responsáveis pela navegação espacial, formação de memória, habilidades motoras e até planejamento estratégico.

Os cientistas recorreram a um dos personagens mais queridos e icônicos do universo gamer: o simpático encanador Mario, da Nintendo. A pesquisa funcionou assim: durante dois meses, um grupo de adultos jogou Super Mario todos os dias por pelo menos 30 minutos, enquanto um outro grupo ficou sem jogar o game no mesmo período.

Os pesquisadores afirmam ter analisado através de ressonância magnética áreas onde essa massa cinzenta se expandiu, como no hipocampo direito, no cortéx pré-frontal direito e no cerebelo. Apesar dos nomes não serem muito conhecidos pelo público, essas são partes do cérebro que estão diretamente ligadas a funções cognitivas do órgão pensante.

Os testes foram conduzidos pela Charité University Medicine St. Hedwig-Krankenhaus, da Alemanha. Segundo os cientistas, o próximo passo é usar os jogos no tratamento de Alzheimer ou estresse pós-traumático, doenças que causam a diminuição do cérebro. Para ilustrar, um vídeo fantástico do AaronGrooves. Impossível não curtir e compartilhar.

Eduvem é uma das startups selecionadas para a fase final do processo de aceleração da BS Innovation Hub

BS Innovation Hub: confira as startups selecionadas para a fase final do processo de aceleração
Apenas 24 equipes foram classificadas para a última fase.

Iniciativa apoiada pelo Grupo Cidade de Comunicação (GCC), o processo de aceleração de startups da BS Innovation Hub recebeu mais de 50 inscrições. Contudo, apenas 24 equipes foram classificadas para a última fase. Composta pelas empresas Gomes de Matos Consultoria, Cordel Ventures e BSPAR, a BS Innovation Hub inaugura uma nova etapa de inovação e criação de novos negócios no mercado cearense.

A última fase do processo seletivo está marcada para a próxima terça-feira (20) e consistirá em apresentações orais. Cada CEO das startups selecionadas terá cinco minutos para defender a sua ideia de negócio diante da bancada formada por membros da BS Innovation Hub e por mentores convidados. O Grupo Cidade, um dos mantenedores dessa ação, também participará da escolha dos finalistas.

Confira as startups selecionadas
1. ALS ENGENHARIA
2. AUDO
3. BIIO
4. COBI
5. DABELE CURSOS
6. DRONDONES
7. EDUKON
8. EDUVEM
9. IBETTING APP
10. INVISTA TECH
11. KINBOX
12. OMNIDECISION
13. PEGUELEVE
14. PETPETPET
15. PLIX
16. QUIZ ORTOPEDIA
17. SELLETIVA
18. SIMBORA
19. SIMPLES XR
20. SPX PAY
21. TOCK TECNOLOGIA
22. UP BUSINESS GAME
23. VELOO
24. VENDEI

BS Innovation Hub e Grupo Cidade

De acordo com Edson Ferreira, diretor geral do GCC, a parceria insere o maior conglomerado de mídia cearense “em um outro patamar como grupo de mídia multistreaming, potencializando as nossas possibilidades e sedimentando nossos investimentos. Fomentar o ecossistema de inovação no Ceará coloca o Grupo Cidade em uma posição de vanguarda, liderando o processo que certamente será um case em todo o País”.

Miguel Dias Filho, presidente do GCC, comemora a parceria. “O Grupo Cidade é uma empresa promissora, aberta à tecnologia e disposta a acompanhar as transformações da sociedade. Nossa parceria com o BS Innovation confirma a ousadia que nos mantém firmes há 43 anos. É uma forma de buscarmos efetivar a nossa vertente tecnológica, através da qual potencializamos a nossa produção de conteúdo para a televisão, as rádios e o nosso portal de notícias. É assim que nos preparamos para o futuro”, finaliza.

Fonte: https://gcmais.com.br/

Inovação, o salto de hoje para o futuro da indústria

A crise econômica e social provocada pelo novo coronavírus despertou ainda mais a necessidade de investirmos em inovação para não ficarmos cada vez mais para trás. Mostrou a importância de se investir constantemente em ciência, tecnologia e inovação. Com poucos investimentos nesta área, o Brasil ficou “na mão” de outras nações, que dominam tecnologias para produção de insumos, equipamentos médico-hospitalares, medicamentos e vacinas.

Por outro lado, para algumas empresas a crise virou oportunidade. O mundo teve que sair da zona de conforto e abraçar a Inovação como um kit de sobrevivência. As startups nunca voaram tão alto em solo nacional. No ano passado, surgiram 4 novos unicórnios, deixando o Brasil na lista dos 10 países do mundo com maior número de startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão.

Inovação no Brasil

Segundo pesquisa da CNI, um a cada três empresários acredita que a indústria brasileira precisará dar um salto de inovação nos próximos cinco anos para garantir a sustentabilidade dos negócios em curto e longo prazos. Para 31%, o grau de inovação da indústria será alto ou muito alto nos próximos cinco anos, principalmente por necessidade.

A pesquisa também mostra que 83% das indústrias precisarão de mais inovação para crescer ou mesmo sobreviver no mundo pós-pandemia, sobretudo em sua linha de produção. E apesar das startups terem deslanchado em 2020, ainda tem muito mercado para crescer, pois 90% das indústrias grandes e médias brasileiras NUNCA trabalharam com uma startup.

Ao longo dos anos os governos não deram prioridade para políticas, investimentos e o consequente desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Retrato dessa realidade é que ocupamos apenas o 62º lugar no Índice Global de Inovação no ranking que abrange 131 países, posição incompatível com o fato de sermos a 9ª principal economia do mundo.

Os dez mais bem colocados do índice são: Suíça, Suécia, Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, Dinamarca, Finlândia, Singapura, Alemanha e Coreia do Sul. Os países da OCDE investem em média 2% do PIB em P&D. Já os países considerados mais inovadores vão bem além. A Coreia do Sul destina 4,3% do PIB, Israel – 4,2% e o Japão – 3,4%.

Países competitivos no cenário global têm indústria forte e elegeram a inovação como estratégia de desenvolvimento. É isso que o Brasil precisa! Essas nações priorizam investimentos em ciência, tecnologia e inovação e apostam fortemente em políticas com visão de futuro a fim de fortalecer a qualidade da educação e o sistema de financiamento e fomento à inovação.

Como tornar a Inovação uma realidade

“Um ponto importantíssimo para que a indústria possa investir mais é a aprovação de marcos legais que tragam segurança jurídica para atrair investidores para o Brasil”, diz Gianna Sagazio, diretora de Inovação da CNI.

Outro fator essencial para o aumento dos investimentos é o descontingenciamento do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), principal ferramenta de financiamento à inovação do país. Em 2020, pouco mais de 10% dos R$ 680 milhões, apenas 13% dos R$ 6,8 bilhões previstos no orçamento para essa área foram liberados pelo governo federal. O Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 135/2020, que impede a retenção de verbas destinadas ao fundo, foi aprovado pelo Congresso Nacional em dezembro, mas o principal ponto que trata do descontingenciamento dos recursos do Fundo foi vetado pelo presidente. Esperamos que o Congresso Nacional derrube o veto.

“É preciso agir com rapidez, pois diante do ambiente de crescente competição internacional, a inovação será um grande diferencial com peso, cada vez maior, para o desenvolvimento de um país. Fortalecer a indústria e priorizar a inovação serão peças-chave para o crescimento e o desenvolvimento do Brasil”, completa Gianna.

Fonte: CNN

Plataforma Eduvem consolida sua divisão de eventos virtuais em parceria com a Afinal Cenografia, e realiza evento de hiperloja de cosméticos

Plataforma Eduvem

Revolucione suas Lives e Show Online utilizando uma plataforma robusta, moderna e totalmente livre das amarraras comerciais das tradicionais plataformas de compartilhamento de vídeos.

No último dia 24 de julho, uma rede de lojas de cosméticos realizou seu primeiro evento digital. O evento, primeiro feito através da parceria da empresa Afinal Cenografia e a plataforma Eduvem Experience, contou com a presença de centenas de clientes, digital influencers, parceiros e fabricantes. Foi um sucesso, e permitiu aos participantes um contato com muito conteúdo e novidades do mercado.

Plataforma e conteúdos foram personalizados para a empresa, com apresentação no palco virtual em estúdio, e participação ao vivo através de streaming das apresentadoras de cada palestra. A plataforma permitiu ainda a visita aos estandes em 3D de cada patrocinador, com apresentação de conteúdos exclusivos ao público e link direto para loja virtual de cada marca.

“Mantemos nosso objetivo de sermos uma plataforma muito simples e de fácil uso para o cliente, porque nossa tecnologia é muito bem estruturada para atender esse novo mercado de eventos online, mas sempre muito amigável para o uso”, conta Vladimir Nunan, CEO da EDUVEM.

“Ver todos os convidados navegando na plataforma, curtindo a experiência de um evento digital, com toda tecnologia e facilidade no acesso foi muito gratificante e fortaleceu a ideia de que estamos no caminho certo para o futuro dos eventos híbridos .” conta Monica Baptistelli, Sócia Diretora da Afinal Cenografia.

Iniciativa privada em parceria com o governo do Ceará, disponibilizam centenas de aulas gratuitas online para o ensino médio

As organizações privadas Farias Brito, Microsoft, Eduvem e Lanlink se unem com a SEDUC (Secretaria de Educação do Estado do Ceará) para viabilizar o ensino à distância com qualidade para jovens do ensino médio durante a pandemia.

O ensino a distância não era uma realidade, mas sim uma aspiração. Apesar de o mundo prover todo o aparato tecnológico necessário, a cultura do ensino presencial em todo mundo ainda prevalecia. Claro, a interação presencial humana é um fator primordial para nosso estado de espírito, mas em muitos casos que esses encontros eram difíceis de acontecer, por motivos de custo, distância, recursos ou algo do gênero, simplesmente o aluno não tinha opção: perderia a aula, a semana, o ano.

As dependências para que esse aluno frequentasse a sala de aula, em locais mais remotos principalmente, eram muitas. Para os alunos que tinham facilidade de ir para a escola, a realidade era outra, e por isso a desigualdade existe na preparação de base no Brasil.

Fato é que, com a pandemia do COVID-19, o mundo mudou e temos a chance de balancear o conhecimento para todos. Empresas trabalhando em casa, alunos estudando em casa. O aparato tecnológico até aqui desenvolvido para o ensino a distância passou a valer, e valer muito. Com as escolas buscando se adaptar e não deixar os alunos perderem o ano letivo, estudar remotamente de casa passou a ser uma realidade.

”Em parceria com a SEDUC do Ceará, estamos unindo todos os alunos do estado para que tenham acesso ao mesmo conteúdo do programa de Estudos Domiciliares, de altíssima qualidade e em suas casas, em prol de auxiliarmos o ensino público cearense a não perder aulas e não se atrasarem com o ano letivo” comenta Vladimir Nunan, CEO da empresa Eduvem, a qual possui um software de ensino à distância e está doando as licenças para esse projeto, com acesso gratuito a plataforma por todos os alunos da rede pública de ensino do estado. O conteúdo das aulas para o ensino médio, foram cedidas gratuitamente pelo tradicional grupo Farias Brito, um dos maiores grupos educacionais do país. São centenas de aulas, divididas em Biologia, História, Geografia, Química, Filosofia e Física.

Além disso, Microsoft e a Lanlink, empresas de tecnologia, cederam a infra-estrutura e o suporte para que tudo isso acontecesse. ”A iniciativa privada pode sim dar as mãos e realizar feitos incríveis nesse momento triste. Todo aluno, seja de qual escola ou classe social for, poderá acessar um ótimo conteúdo e se preparar ainda mais para os desafios pós crise em suas escolas”, conclui Vladimir.

O intuito de iniciativas como essa, é mostrar que o ensino a distância é viável, e aproxima alunos, professores, diretores, escolas e empresas, de todos os tamanhos, classes e oportunidades. Claro, o ensino presencial é primordial no longo prazo, mas agora sabemos que temos um grande aliado no aprendizado e na preparação de todos os alunos no Brasil: o ensino a distância.

Sobre a EDUVEM

A Eduvem é uma Start-up (Edutech) focada na tecnologia, usabilidade e design desenvolvendo produtos, aplicativos e ferramentas para melhorar a aprendizagem. Acreditamos na importância da educação como fonte de transformação para pessoas, empresas e instituições. Por meio de inovações tecnológicas, exploramos novas formas de colaboração. Assim, além do crescimento individual, abrimos novos horizontes para equipes, produtos, serviços e consumidores.

Nosso objetivo é compreender o cliente e suas necessidades, a fim de melhorar continuamente seus negócios. Oferecemos ferramentas completas, de uso simples, para publicação de conteúdo educacional em várias áreas e de vários modelos.

www.eduvem.com

contato@eduvem.com

Brasileira está entre os 50 melhores professores do mundo

Débora Garofalo é professora na escola municipal Almirante Ary Parreiras, em São Paulo. Ela é uma das 50 melhores professoras do mundo e concorre ao prêmio principal.

Seu trabalho é incrível. Através do projeto Robótica com Sucata, ela leva seus alunos para as ruas do bairro – onde falta saneamento básico e coleta de lixo – e faz um trabalho de catalogação e coleta do lixo.

Mas o que isso tem a ver com robótica? Do lixo, a professora e seus alunos criam robôs e máquinas automatizadas. Isso mesmo, a professora alia consciência ambiental com tecnologia e extrai dos alunos habilidades que eles ainda não conheciam.

A professora Débora, aliás, será uma das palestrantes do EdTech Conference, maior evento sobre o futuro da educação já realizado no Brasil, que nos últimos 2 anos reuniu mais de 4 mil pessoas.

Segundo a professora, o projeto é multidisciplinar e tem um forte apelo social: “o projeto tem ajudado a pensar a escola que não só produza conhecimento, como também traga contribuições locais, gerando responsabilidade social nos alunos e na comunidade”.

Pelo projeto, a professora é uma dos 50 finalistas do Prêmio internacional Global Teacher, que reúne professores de 171 países que criaram métodos inovadores e criativos para lecionar.

O vencedor do prêmio recebe o título de Melhor Professor do Mundo. O resultado final sai em março, em Dubai.

Fonte: Startse

Agora somos todos Eduvem!

A partir de hoje, a Quattro Ventos passa a se chamar simplesmente EDUVEM.

Nessa nova etapa criamos 3 pilares para apoiar nossos clientes:

  • EDUVEM Rapid Learning – plataforma de ensino a distância.
  • EDUVEM Services – consultoria, produção e transformação fim a fim de conteúdo para EAD.
  • EDUVEM Corporate Social Media – solução de rede social para empresas.

Nosso desafio é possibilitar qualquer pessoa configurar, operar e administrar seu conteúdo educacional.

EDUVEM simplesmente fácil!!
www.eduvem.com

Scroll to top