Retenção de talentos: como manter os melhores?

Os líderes empresariais estão sob pressão no que diz respeito à retenção de talentos: à medida que as grandes empresas reduzem drasticamente a sua força de trabalho através de despedimentos em massa, há uma batalha por profissionais vistos como especialistas nas suas áreas. “A escassez de candidatos qualificados aumenta a competição por estes profissionais e coloca ainda mais pressão sobre os gestores, que devem manter estas pessoas satisfeitas ou estar prontas para contratar no momento certo”, afirma Diogo Forghieri Vidal, diretor de soluções de talentos da Randstad.

Retenção de talentos: como manter os melhores?

Os profissionais são mais desejados (e procurados) do que nunca, mas como mantê-los a longo prazo dentro de sua empresa? Há estratégias de retenção de talentos que podem lhe responder como manter firme e motivado um bom funcionário, mesmo em equipes menores que precisam desesperadamente de boas pessoas para lidar com a carga de trabalho.

Os cortes de pessoal têm um impacto adicional nas equipas, do qual os gestores de pessoas devem estar atentos. Quando as condições de trabalho são más, os trabalhadores mais qualificados são os primeiros a pedir o despedimento, porque possuem as competências e a experiência necessárias para reingressar no mercado. Segundo pesquisa realizada pela RH Robert Half, o Brasil teve um aumento na rotatividade em relação ao período pré-pandemia, conforme afirmaram 56% dos executivos entrevistados. O país teve a maior rotatividade de todos os países estudados. Este mesmo estudo constatou que após a pandemia, a rotatividade voluntária – a sada de um trabalhador por pura vontade – aumentou de 33% para 48%.

A pressão sobre os gestores para reter as melhores pessoas está a aumentar e a Forbes consultou especialistas para reunir as melhores práticas de mercado para a retenção de talentos nas empresas.

  1. Flexibilidade de jornada e locais de trabalho

No Randstad Workmonitor 2023, 91,5% dos inquiridos enfatizaram a importância da flexibilidade em termos de horário de trabalho, enquanto 87,2% enfatizaram a importância da flexibilidade em termos de local de trabalho. Isto demonstra que, com o regresso à presença, os trabalhadores limitam severamente a sua flexibilidade. “Se uma organização tem um esquema ineguável de jornada 100% presencial, certamente será impactada pela rotatividade, pois as empresas disputam talentos com esses artifícios”, afirma Vinicius De Luca, presidente da divisão SulAmérica da empresa de consultoria organizacional Korn Ferry.

  1. Oportunidades de desenvolvimento profissional

A oportunidade de desenvolver competências e habilidades é muito valorizada pelos colaboradores e é o principal motivo para alguém permanecer na empresa. O relatório Korn Ferry “O Futuro da Aquisição de Talentos 2023” mostra que quando os profissionais têm essas oportunidades, eles retêm 34% mais talentos. Como resultado, uma das tarefas dos líderes é permitir a mobilidade interna através de planos de carreira concretos. “Investir em mobilidade dentro da empresa ajuda as organizações a atrair os melhores talentos, desenvolver pipelines mais diversificados, preencher vagas abertas e preencher lacunas críticas de competências”, afirma o CEO da Korn Ferry SulAmérica.

  1. Investimento EX (Employee Experience)

Para proporcionar um ambiente de trabalho positivo aos seus funcionários, as empresas devem implementar iniciativas de bem-estar, saúde mental e bem-estar. “É fundamental que as empresas forneçam soluções, benefícios e acordos únicos para atender às diversas necessidades e expectativas dos seus colaboradores”, afirma Diogo Forghieri Vidal. Ou então, a equipe de gestão de pessoas deve cuidar para que os colaboradores se sintam protagonistas e se identifiquem com a empresa que trabalha com eles para atender às suas necessidades pessoais e profissionais.

A Eduvem é a melhor plataforma para construção de Universidades Corporativas com uma experiência inovadora em aprendizagem e eventos digitais, somos uma excelente opção para instituições educacionais, empresas e instrutores independentes. Agende uma demonstração preenchendo o formulário abaixo:

  1. Atratividade Salarial

Num ambiente de demissões por medidas de corte de custos e reduções salariais, as empresas que oferecem comissões, bônus, benefícios corporativos ou bônus de desempenho atraem os funcionários mais qualificados. O relatório “Employee Experience” da FIA Business School revelou que, entre os profissionais inquiridos, a remuneração é um aspecto da permanência na empresa mais valorizado para os mais seniores do que para os mais jovens.

5. Estabilidade

Além da remuneração, é fundamental que a organização proporcione estabilidade para reter os seus melhores funcionários, uma vez que a incerteza económica gera o medo de perder a principal fonte de rendimento. De acordo com o Randstad Workmonitor, 95,9% dos entrevistados valorizam a estabilidade no emprego e 59,7% estão preocupados em perder o emprego. Com isso, a transparência sobre a situação financeira da empresa para o colaborador torna-se ainda mais importante.

  1. Promoção da missão e dos valores da organização

O estudo da FIA identificou o alinhamento com os valores como um dos principais motivadores para os funcionários trabalharem para uma organização específica. Para começar, valorizar as políticas de DE&I e o pertencimento dos funcionários em conjunto com a estratégia da empresa é fundamental para os valores e propósitos declarados da organização.

Esta é uma preocupação ainda mais premente para os millennials e a geração Z no mercado de trabalho; ao contrário dos seus antecessores, estão mais preocupados em mudar as culturas das organizações em que trabalham.

Esse artigo foi um insight a respeito da retenção de talentos no mercado atual. Se você gostou, não se esqueça de entrar em contato conosco!

Scroll to top